segunda-feira, 28 de julho de 2014

SACUDINDO A TERRA

(Texto aplicado à Mesa I)

Um dia, o cavalo de um camponês caiu num poço. Não chegou a se ferir, mas não podia sair dali por conta própria.
Por isso o animal chorou fortemente durante horas, enquanto o camponês pensava no que fazer.
Finalmente, o camponês tomou uma decisão cruel: concluiu que o cavalo já estava muito velho e não servia mais para nada, e também o poço já estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma. 
Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o cavalo de dentro do poço. Ao contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar vivo o cavalo.
Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço.

O cavalo não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele, e chorou desesperadamente. 
Porém, para surpresa de todos, o cavalo aquietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou.
O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se surpreendeu com o que viu. A cada pá de terra que caía sobre suas costas o cavalo a sacudia, dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão.
Assim, em pouco tempo, todos viram como o cavalo conseguiu chegar até a boca do poço, passar por cima da borda e sair dali trotando.
A vida vai lhe jogar muita terra, todo o tipo de terra. Principalmente se você já estiver dentro de um poço.
O segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e dar um passo sobre ela.
Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima. Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos. Use a terra que te jogam para seguir adiante!
Recorde as 5 regras para ser feliz:
1-               Liberte o seu coração do ódio.
2-               Liberte a sua mente das preocupações.
3-               Simplifique a sua vida.
4-               Dê mais e espere menos.
5-      Ame mais e... aceite a terra que lhe jogam, pois ela pode ser a solução, não o problema.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O POUCO COM DEUS

(Texto enviado por Gisele)

"O pouco com Deus é muito”...
Quantas vezes você já ouviu esse ditado? Quantas vezes você imediatamente pensou na pobreza, em coisas pequenas? Quantas vezes você não teve a visão de  que o "pouco" eram as coisas, que o pouco é qualquer coisa material. Que devemos nos contentar com o que a vida oferece? O pouco somos nós!
Somos nós que nos defrontamos com nossos adversários interiores: o orgulho, a vaidade, a presunção de que somos "algo mais", que nos julgamos superiores a essa ou aquela pessoa, que nos gabamos de nossos diplomas, que fugimos das feridas de nossos "irmãos" caídos, que levantamos o dedo para acusar, apontamos os defeitos dos outros, gritamos para encobrir nossos erros.
O pouco com Deus, ou seja, nós mesmos com Deus podemos ser muito mais, ter muito mais, desde que deixemos de lado a nossa "presunção", pois o "Reino de Deus" se apresenta com simplicidade, chega aos corações pedindo apenas a capacidade de amar. Amar sem pesar, sem cobrar, sem exigir troca.
Definitivamente creia: Deus não é vingativo,  não fica espreitando as suas atitudes para  cobrar, Deus espera, Deus ama, Deus acolhe!
É com essa mensagem que Jesus se dirige  mais uma vez, aos aflitos, aos que tem sede e fome de justiça,
os que perderam a luz em algum ponto, e não enxergam saída. Jesus, convida para um abraço que reconforta, sem cobrar nada, sem apontar erros, apenas acolher seus sonhos, separar o que é imaginação da realidade, segurar na sua mão e apontar o infinito, mostrar que além de todas as conquistas  transitórias da vida, o que realmente importa é o bem que podemos fazer.
O que liberta, o que salva, o que transforma é o bom e velho amor. Então, comece por você!
Perdoe-se! Encontre-se! Esforce-se um pouco mais! E se a estrada parecer penosa, e se a solidão chegar, se não ver ninguém no caminho, lembre-se de olhar para o alto, Eis Jesus sorrindo e pedindo, segue confiante: Eu estou contigo!
Sempre...

Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 14 de julho de 2014

REFLEXÃO DO DIA: A VIDA É CHEIA DE DESAFIOS

(Texto aplicado à Mesa I)

A vida é cheia de desafios. Todo obstáculo, todo desafio que a vida nos oferece, apresenta riscos. Por isso, temos que ter cuidado com as escolhas. Correr riscos é diferente de assumir riscos.
Correr riscos significa agir sem as informações necessárias para a tomada de decisão, sem um planejamento adequado para alcançar o sucesso. Correr riscos é falta de preparo, coisa de amadores.
Assumir riscos significa conhecer o tamanho do risco e o seu fôlego, suas condições e recursos para enfrentá-lo. Assumir riscos é uma atitude inteligente, baseada na razão e no conhecimento.
Só amadores correm riscos. Profissionais assumem riscos.
Se você quer vencer, não se permita correr riscos. Conheça-os e reflita sobre eles. Assuma riscos de forma consciente.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

UMA REFLEXÃO...

(Texto enviado por Gisele)

Uma noite, um velho índio contou ao seu neto sobre a guerra que acontece dentro das pessoas.
Ele disse:
-A batalha é entre dois lobos que vivem dentro de todos nós. Um é Mau. É a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, mentiras, orgulho falso, superioridade e ego. O outro é Bom. É alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.
O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:
-Qual lobo vence?
O velho índio respondeu:
-Aquele que você alimenta..."

segunda-feira, 30 de junho de 2014

O SONHO DAS TRÊS ÁRVORES

(Texto aplicado à Mesa I)

Três árvores conversavam na floresta sobre os seus sonhos para o futuro.
A primeira disse que queria, ao ser cortada, transformar-se em uma lindíssima caixa de jóias e sentir-se importante em conter dentro de si os mais ricos tesouros que o mundo conhecesse.
A segunda disse que queria transformar-se em belo e formoso navio e transportar os mais importantes reis e príncipes.
A terceira disse que não queria ser cortada, queria crescer e crescer em direção ao céu a ponto de tocar em Deus.
O tempo passou e as três foram cortadas.
Muito tempo depois, encontraram-se no paraíso celestial das árvores e, conversando, perguntaram o que havia ocorrido a cada uma.
- Você se transformou em uma linda caixa de jóias? – perguntou a segunda à primeira.
- Não – disse a amiga – não foi isso o que aconteceu. Eu me transformei em uma cocheira, mas sabe que vivi grandes emoções? Um dia, um casal com um recém-nascido entrou na estrebaria em Belém e repousaram a criancinha sobre mim. Naquele exato momento, senti que abrigava a maior de todas as jóias.
- E você – perguntou a primeira à segunda – se transformou em um grande navio e transportou os mais importantes reis e príncipes?
- Não! Fui convertida em uma singela canoa de pescadores, mas sabe que também tive grandes emoções? Um dia estávamos no meio de uma tempestade, quase indo a pique, e um homem levantou-se e disse: “Águas e ventos, serenai”. E as águas e ventos serenaram. Pensei: “Quem será este ao qual até a natureza obedece? Deve ser o maior de todos os reis”.
- E você, o que lhe aconteceu? – perguntaram à terceira árvore. – Cresceu tanto quanto queria?
Ela respondeu-lhes:
- Não. Fui cortada para uma finalidade triste, fui transformada em uma cruz e um dia pregaram em mim um homem que dizia que seu reino não era deste mundo. Mas naquele momento eu vivi uma emoção incrível. No momento em que cravavam as mãos do homem em mim, naquele exato momento eu senti que toquei em Deus!

(Do livro Atitudes Vencedoras, de Carlos Hilsdorf)

segunda-feira, 23 de junho de 2014

TER FÉ...

(Texto enviado por Gisele)

Ter fé é ACEITAR os desígnios de Deus ainda que não os entendamos, ainda que não nos agrade. Se tivéssemos a capacidade de ver o fim desde o princípio tal como Ele vê, então poderíamos compreender por que às vezes nossa vida é conduzida por caminhos estranhos e contrários a nossa razão e aos nossos desejos.
Ter fé é DAR quando não temos, quando nós mesmo necessitamos. A fé sempre encontra algo valioso onde aparentemente não existe; pode fazer que brilhe o tesouro da generosidade em meio à pobreza e ao desamparo, enchendo de gratidão ao que recebe e ao que dá.
Ter fé é CRER quando é mais fácil ficar na dúvida. Se a chama da confiança em algo melhor se extingue em nós, então não há outro meio que não nos entregarmos ao desanimo.
A crença em nossas bondades, possibilidades e talentos, tanto como em nossos  semelhantes, é a energia que move a vida fazendo grandes vencedores.
Ter fé é GUIAR nossa vida não com os olhos, mas sim com o coração. A razão necessita de muitas evidências para arriscar-se, o coração necessita só de um raio de esperança. As coisas mais belas e grandes que a vida nos dá não se podem ver, nem sequer tocar, só se podem acariciar com o espírito.
Ter fé é LEVANTAR-SE quando se está caído. Os revezes e fracassos em qualquer área da vida nos entristecem, porém é mais triste ficar lamentando-se no frio chão da autocompaixão, acompanhado pela frustração e a amargura.
Ter fé é ARRISCAR-SE na troca de um sonho, de um amor, de um ideal. Nada que vale a pena nesta vida pode se conseguir sem esta dose de sacrifício, que implica desprender-se de algo ou de alguém, a fim de adquirir algo que melhore nosso próprio mundo e o dos demais.
Ter fé é VER positivamente a vida à frente , não importa quão incerto pareça o futuro ou quão doloroso foi o passado. Quem tem fé faz de hoje um fundamento do amanhã e trata de vivê-lo de tal maneira que quando fizer parte de seu passado, possa vivê-lo como uma grata recordação.
Ter fé é CONFIAR, porém confiar não somente nas coisas, mas sim o que é mais importante... nas pessoas. Muitos confiam no material, porém vivem relações vazias com seus semelhantes. Certamente sempre haverá gente que traíra tua confiança; assim o que temos a fazer é seguir confiando sendo mais cuidadoso com aqueles em quem confiamos.
Ter fé é BUSCAR o impossível: sorrir quando os dias se encontram nublados e teus olhos estão secos de tanto chorar. Ter fé é não deixar nunca de cobrir teus lábios com um sorriso, nem sequer quando está triste, porque nunca sabes quando teu sorriso pode dar luz e esperança à vida de alguém que se encontra em pior situação do que a tua.
Ter fé é CONDUZIR-SE pelos caminhos da vida da mesma forma que uma criança segura a mão de seu pai. É entregarmos nossos problemas nas mão de DEUS e nos jogarmos em seus braços antes de cair no desespero. Ter fé é descansarmos para que ELE nos carregue, em vez de carregar nós mesmos nossa própria coleção de problemas.
QUE EM TUA VIDA HAJA SUFICIENTE FÉ PARA ENFRENTAR AS SITUAÇÕES DIFÍCEIS, JUNTO COM A NECESSÁRIA HUMILDADE PARA ACEITAR O QUE NÃO SE PODE MUDAR.


segunda-feira, 16 de junho de 2014

UM PASSEIO SOBRE A GÊNESE

(Pequeno resumo após a leitura do Livro no CEENC)

A Gênese foi dividida em 18 capítulos que trazem a luz da sabedoria através do entendimento Espírita das diversas etapas da evolução do Universo. Isso é o interessante da Gênese... é poder entender aqueles aspectos que podem parecer nublados sobre a nossa criação e sobre o futuro de cada um de nós, como seres espirituais.
No Capítulo I, estudamos sobre o que são as revelações espíritas e como elas acontecem. Vimos as máximas trazidas por Sócrates, Platão, Moisés e Jesus, até chegarmos ao advento da Doutrina Espírita, considerada como o Consolador.
No Capítulo II passamos a entender um pouco sobre a Existência de Deus e sobre a sua natureza divina, entendendo alguns aspectos ainda pouco compreendidos pela humanidade.
No Capítulo III pudemos entender o que diferencia o bem do mal, o instinto da inteligência e assim, nos aprofundar na compreensão daquilo que faz os homens buscarem a destruição entre si.
Passamos então aos Capítulos IV e V, onde estudamos o papel da ciência na evolução e conseguimos entender melhor as diferenças entre o que a humanidade entendia como certo em tempos anteriores e o que entende agora, após a vinda das revelações, entre elas as de Jesus e as da Doutrina Espírita.
Iniciamos então no Capítulo VI o estudo da formação do Universo em seus aspectos mais específicos, que foram desde a formação da matéria, passando pela criação dos sóis, dos planetas, das galáxias e de toda diversidade encontrada nos mundos.
Compreendemos nos Capítulos VII, VIII e IX, os aspectos físicos da formação da Terra, suas idades geológicas, os períodos de formação do que temos hoje, a formação do relevo, a idade das montanhas até chegarmos ao estudo sobre os acontecimentos que influenciaram as transformações, como o dilúvio bíblico, os cataclismos e as futuras revoluções que também devem acontecer.
Nos capítulos X, XI e XII, passamos então à formação dos seres vivos e ao seu aparecimento sobre a Terra. Como foi sua evolução do ponto de vista físico e espiritual. Estudamos a origem científica do homem e se realmente ele vem do macaco ou não...  Nos aprofundamos na evolução espiritual dos seres humanos, compreendendo aspectos sobre a encarnação, sobre as reencarnações... Estudamos sobre a explicação Bíblica de “Adão e Eva” à Luz do Espiritismo, bem como sobre o paraíso e sobre a teoria dos anjos decaídos. Estudamos também sobre as Leis de Moisés...
Foi então que a Gênese nos trouxe a visão do Espiritismo sobre o que costumam chamar de Milagres, tanto sobre aqueles que escutamos falar hoje em dia, quanto sobre aqueles trazidos pelos textos bíblicos. Vimos também nesse capítulo, o XIII, a relação das religiões com aquilo que parece sobrenatural.
No capítulo XIV, o assunto abordado pela Gênese foi a respeito dos fluidos, suas propriedades e características na composição do perispírito. Vimos como os espíritos atuam sobre os fluidos nas manifestações mediúnicas e na manipulação da energia que nos forma. Estudamos sobre as curas, as aparições, obsessões além de estudarmos aquilo que se entende por ressurreição.
Já no capítulo XV fomos agraciados com um estudo detalhado sobre a visão espírita do conteúdo das parábolas bíblicas, nos aprofundando um pouco mais sobre a natureza de Jesus e suas passagens na Terra, de forma bastante científica e explicativa.
Nos capítulos XVI e XVII foi possível saber um pouco mais sobre as predições que foram atribuídas a Jesus a respeito do futuro da humanidade, sobre a chegada de outros reveladores que vieram preparar o campo para a chegada de jesus e da Doutrina Espírita, dos sinais deixados por eles e transcritos nos textos bíblicos, sob a visão espírita, além de podermos compreender aquilo que costumam chamar de Julgamento Final, nos seus aspectos mais verdadeiros. Falamos das profecias e das previsões para o futuro.
Por fim, no capítulo XVIII, nos dedicamos ao estudo do que devem buscar as novas gerações, embasadas pelos aspectos morais trazidos pelos ensinamentos de Jesus e da Doutrina Espírita. Observamos os sinais que o tempo vai deixando marcados na história, a fim de trilhar o rumo das novas gerações.
E assim aconteceu o Estudo da Gênese em nossa Mesa I. Um texto delicioso de ler, apesar do vocabulário um pouco rebuscado, mas repleto de ensinamentos e curiosidades indiscutivelmente interessantes e instigantes para todos aqueles que buscam compreender melhor sobre si e sobre o Universo.
Agradecemos aos mentores espirituais por nos guiarem ao longo da leitura e nos indicarem o caminho da compreensão. Muitas dúvidas foram esclarecidas, mas também muitas outras foram criadas e, desta forma, reiteramos aquela máxima de que quanto mais estudamos, mais vemos que menos sabemos!

Um abraço fraterno a todos e até breve!

segunda-feira, 9 de junho de 2014

DENTRO DE VOCÊ

(Texto enviado por Gisele)

E se eu disser que dentro de você mora um anjo que se reveste de luz para fazer novos amigos?
E se eu disser que dentro de você existe uma paz infinita que o torna tão amigo e querido?
E se eu disser que dentro de você existe luz e que essa luz apaga a inveja, a discórdia e a guerra?
E se eu disser que dentro de você existe um cupido que espalha amor e que flecha meu coração?
E se eu disser que você é iluminado pelas estrelas e seus olhos parecem reflexo dessa luz?
E se eu disser que você é divinamente concebido e tem dentro de si tudo o que precisa para viver?
E se eu disser que dentro de você existe uma fera que sabe lutar e defender os seus?
E se eu disser que dentro de você habita uma chama que é capaz de incendiar uma cidade?
E se eu disser que dentro de você mora um inventor capaz de criar mil maneiras de fazer a mesma coisa?
E se eu disser que dentro de você existe um construtor que é capaz de criar novos caminhos?
E se eu disser que dentro de você existe um elo de corrente que o liga ao sobrenatural tão facilmente?
E se eu disser que você é um deus, e que possui a chave da vida eterna... Da alegria que não acaba, dos sonhos que se realizam, da saúde que se perpetua, dos amigos que nunca o esquecem!  Da saudade gostosa, do desejo que realiza, do prazer da vida?
Você é a própria luz. Acredite nisso e brilhe, por amor a você e a quem o criou. Construa, viva, conquiste, não aceite as derrotas, os "nãos”! O impossível é apenas uma força te convidando para realizar.
Acredite, Dentro de você existe um universo em permanente construção.

Paulo Roberto Gaefke

segunda-feira, 2 de junho de 2014

LIÇÕES DE VIDA

(Texto da Mesa I)

Um homem tinha quatro filhos. Ele queria que seus filhos aprendessem a não julgar as coisas tão rapidamente. Assim, ele os enviou com uma tarefa. Um a um deveria ir a uma pereira que estava a uma grande distância.
O primeiro filho foi no inverno, o segundo na primavera, o terceiro no verão e o mais novo no outono.
Quando todos tinham ido e voltado, ele os chamou juntamente p/ que descrevessem o que tinham visto.
O primeiro filho disse que a árvore era feia, curvada e torcida. O segundo filho disse que não, que estava coberta de botões verdes e cheia de promessa. O terceiro filho discordou, ele disse que estava carregada com flores que cheiravam tão bem e eram tão bonitas. Isto foi a coisa mais graciosa que jamais vira. O último filho discordou de todos, ele disse que era madura, e inclinada por causa das frutas, cheia de vida e realização.
O homem então explicou para seus filhos que todos eles estavam certos, porque eles viram apenas uma estação da vida da árvore. Ele falou-lhes que uma pessoa não pode julgar uma árvore ou uma pessoa através de apenas uma estação, que a essência daquilo que eles são, o prazer e amor que vem daquela vida pode apenas ser medido no final, quando todas as estações se passaram. Se você desiste quando ainda é inverno, você perderá a promessa da sua primavera, a beleza do seu verão, a plenitude do seu outono.
Não deixe que o sofrimento de uma estação destrua a alegria de todo o resto. Não julgue uma vida através de uma estação difícil. Persevere através dos trechos difíceis e tempos melhores certamente virão em breve ou um pouco mais tarde. Deixe Deus guiar você através das estações da vida. Ele conhece o melhor caminho por onde conduzi-la à sua plenitude.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

SEM HUMILDADE NÃO HÁ ESCLARECIMENTO

(Texto enviado por Gisele)

Não se esconda das grandes questões do espírito ou mesmo da natureza humana. Participe dentro de suas doutrinas ou religiões buscando cada traço da verdadeira sabedoria imposta sobre aqueles que de alguma forma carregam a sensibilidade mediúnica e que na posição de médiuns venham tentar de alguma forma esclarecer determinados assuntos ou dúvidas.
 O esclarecimento é um dos maiores objetivos da Umbanda. Esclarecimento em todos os sentidos. Sem esclarecimento não tem doutrina, não evolui e assim por diante. O esclarecimento está ligado como objetivo em todas as religiões. Basta buscar esclarecimento para crer.
 Minhas simples palavras para aqueles que buscam esclarecimento.
 “Sem humildade não há esclarecimento”, porque tem que ser humilde para dar e receber esclarecimento. A vaidade, o orgulho, a ganância, a inveja, ou seja, toda forma negativa de comportamento traz consigo a falta de humildade que anula o esclarecimento e crescimento.
 Esclarecimento já tantas vezes citado nessas tão poucas iniciais linhas, mas, que já une com o crescimento. O esclarecer é a semente para o crescimento. Quem esclarece, ajuda a crescer e quem cresce ajuda esclarecer.
 Talvez digam que nego véio tá bebo.
Pai Antônio do Cruzeiro das Almas.

(Mensagem Recebida pelo Médium Alberto Magno da Equipe Genuína Umbanda)