quarta-feira, 15 de agosto de 2012

HISTÓRIA DO CABOCLO VENTANIA


Texto enviado por Danielle com base no presente em http://espadadeogum.blogs.sapo.pt/

 


Conto essa história narrada pelo próprio espírito do Caboclo Ventania. Nome hoje usado por ele em alguns de seus médiuns.
Sua última encarnação foi como índio filho de um grande pajé; viajava sempre para renovar suas energias ao encontro do mar. Sua adoração por mãe Iemanjá veio pelas longas horas sentado em uma pedra visualizando o grande reino desta Orixá, à qual ele pedia sempre ajuda em seus rituais de cura dos enfermos em sua aldeia.
Viveu como índio Cherokee em uma vila as margens do rio Tenesse. Suas mulheres Índias cuidavam da lavoura, plantação de milho e abóboras; eram bordadeiras por excelência, e tinham o respeito de seus homens que as cultuavam como deusas. Os índios por sua vez cuidavam da caça de ursos, da pesca, da espiritualidade e da cura. Muito inteligentes tinham por habilidade natural entender e ou aprender rapidamente diversas línguas de outras tribos e mesmo de outras nacionalidades, o que ocorreu quando da invasão dos europeus às terras americanas.
Ventania era caçador e Xaman de sua tribo, pois os homens fortes, ao enfrentarem ursos e búfalos, acreditavam que os deuses davam a eles força espiritual para praticar tal bravura. Os Xamans cuidavam de doenças e passavam a receita vinda de seus ancestrais. Conversavam com os espíritos e os consultavam para tudo que faziam, portanto em uma vida primitiva já tinham a essência espiritual em suas veias. Ventania nos conta que eles já faziam suas poesias em forma de desenho e amavam a natureza como todo índio em qualquer nação.
Conta também que seu desencarne aconteceu na disputa por seu amor. A tribo tinha por hábito quando uma índia era pretendida por dois ou mais índios, eles disputavam em luta. O perdedor ou entendia e se convencia da derrota ou pedia para ser morto pelo vencedor, e foi o que aconteceu. A índia em questão iria ser disputada por ele e outro índio que tinha o nome de Chuva Vermelha por ser muito rápido com flechas em chamas. Ao perder a luta, Chuva Vermelha disse que não o mataria; pois o respeitava pelas inúmeras curas e pelas inúmeras caças que Ventania já havia feito na aldeia. Porém, Ventania inconformado com a derrota, pediu que o matasse, pois o mundo seria ruim para ele sem a moça. E foi o que aconteceu. Com uma machadada na cabeça ele desencarnou.
Devido ao ato dele ter rogado pela sua própria morte, se encontrou por longos anos no Umbral, onde somente quando pode se encontrar com Espíritos de Luz, compreendeu o ocorrido e pôde ir para as esferas de evolução onde hoje, Ventania trabalha também como Espírito de luz. O nome Ventania foi escolhido por ser mais parecido como Raio de Vento, que usou naquela encarnação, quando devido à velocidade com que caçava búfalos e veados, foi denominado assim.
Em terra, como Espírito de Luz trabalhando na Umbanda, Ventania realiza desobsessões, cura e aconselhamento.
Ventania gosta de vinho tinto suave e suco de milho. Vibra na energia das pedras de cascalhos, basaltos e quartzo verde. Seus amuletos são à base de pedras ou algo de couro. Seu dia comemorativo é 21/02.


15 comentários:

  1. SÓ TENHO A AGRADECER PELO CABOCLO VENTANIA, PELAS MARAVILHOSAS OBRAS REALIZADAS! OBRIGADA CABOCLO!

    ResponderExcluir
  2. Estou conhecendo esse caboclo agora,pois estou iniciando na mediunidade e sei que ele é meu orixá de frente de minha coroa. Sei que ele é um grande orixá e trab muito com a caridade. É de suma responsabilidade ser cavalo dele,mas sei que terei a ajuda dele e do nosso Senhor Jesus para cumprir missão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quanta baboseira kkkkk ele é um caboclo, ja viveu em terra, não tem nada a ver com orixá, nem frente nem coroa nem nada kkkkk o meu velho sai fora e vai te tratar, tas muito confuso hahahahahah... o caboclo pode no maximo trazer a força erradiado por um orixa, mas nunca sera seu orixa.

      Excluir
  3. Como ele (o caboclo Ventania) adorara Iemanjá se os mitos africanistas não fazem parte dos mitos e rituais indígenas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão,

      Que bom que visitou nossa página! Obrigada por seu comentário.
      Quanto à sua dúvida, podemos dizer que o texto esclarece que, enquanto em vida terrena, o Caboclo Ventania sempre admirou a força do mar como pode observar em:
      "...viajava sempre para renovar suas energias ao encontro do mar...".
      Como a gente sabe, na Umbanda, os Orixás não representam mitos Africanistas, mas sim, cada um dos elementos da natureza, que foram denominados com os nomes dos Orixás pois essa era a forma que os escravos (esses sim, vindos da África) conheciam e denominavam em seus cultos (para maiores informações, por favor consultar http://www.ceenc.com.br/2012/06/o-que-sao-os-orixas-para-umbanda.html).
      Então, quando o autor do texto utiliza a seguinte colocação: "Sua adoração por mãe Iemanjá veio pelas longas horas sentado em uma pedra visualizando o grande reino desta Orixá, à qual ele pedia sempre ajuda em seus rituais de cura dos enfermos em sua aldeia"., ele se refere ao fato de que, quando em vida, ele evocava a força e a energia do mar para seus trabalhos.
      Contudo, irmão, cabe compreeender que atualmente, o Espírito do caboclo Ventania cumpre sua missão como entidade de uma religião que utiliza as denominações apresentadas no texto, sendo assim, ao relatar essas caracterísiticas aos médiuns durante seu trabalho, é bastante lógico que utilize a linguagem da religião na qual se apresenta. Sendo assim, o índio que evocava as forças do mar quando encarnado, é o mesmo que continua evocando as forças de Iemanjá enquanto Espírito que se manifesta na religião da Umbanda.
      Esperamos ter esclarecido sua dúvida. Qualquer coisa estamos à disposição.
      Um abraço fraterno,
      FAMÍLIA CEENC

      Excluir
  4. Sabe me dizer o que significa aquele pássaro na imagem do caboclo ventania?

    ResponderExcluir
  5. A qui quem fala e uma filha de ogum rompe mato que deu no meu orixalar Sr.ventania eu só tenho agradecer esse orixar que tudo q pesso a ele me atende

    ResponderExcluir
  6. Boa noite irmãos. Sou espírita kardecista e, há pouco tempo li um livro "O Guerreiro da Luz", psicografado por Osmar Barbosa pelo espírito Daniel, que conta a história de um Guerreiro Ventania. Ele viveu no Brasil colonial, da tribo dos Guajajaras, Aldeia Crioli, no Maranhão, às margens do Rio Mearim. Se voces tiverem a oportunidade de ler, seria bem interessante.
    Abraços fraternos.
    Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá o nome do livor é O Guardião da Luz de Osmar Barbosa.
      "O Guardião da Luz traz uma história que nos completa e nos faz compreender a misericórdia divina em sua amplitude. Esta obra psicografada retrata a trajetória de um índio que como espírito, também tem a oportunidade evolutiva. São eles espíritos que merecem como todos nós filhos da criação uma oportunidade? Deus ama sua criação e proporciona a ela oportunidades evolutivas constantes. Como são recebidos esses espíritos na erraticidade? Existem colônias específicas para estes espíritos? Será possível eles auxiliarem na obra divina para evoluirem? Seus familiares onde estão? Sabemos que todos nós precisamos estar seguros, protegidos e iluminados por nossos mentores, será que um espírito que tenha vivido uma encarnação como índio não pode ser seu protetor? Seus sentimentos, seus amores, seus costumes para que serve essas experiências? "

      Excluir
  7. Parabéns pelo exclarecimento
    adorei

    ResponderExcluir
  8. Sou iniciante na Umbanda,religião na qual sempre me senti atraída desde cedo, mas relutava pois fui criada em berço "evangélico".Em tão pouco tempo tive a ajuda e o acolhimento que nunca tive em outro lugar! Sou grata também ao Caboclo Ventania pelo cuidado e aconselhamento!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi tenho uma casa de oração e o nome é CASA DO CABOCLO VENTANIA. Muitas pessoas vêm participar aos sábados das orações e tiram suas dúvidas com as entidades que vem trabalhar. Já teve casos de pessoas que foram desengarnadas a mais de 7 anos e o caboclo sede sua falange para esse espírito enviar sua mensagem. Isso está correto? O Nego Cambinda tbm sede espaço para os espíritos sofredores falarem de suas angústias ou felicidade que encontraram pós morte.

    ResponderExcluir
  10. Oi tenho uma casa de oração e o nome é CASA DO CABOCLO VENTANIA. Muitas pessoas vêm participar aos sábados das orações e tiram suas dúvidas com as entidades que vem trabalhar. Já teve casos de pessoas que foram desengarnadas a mais de 7 anos e o caboclo sede sua falange para esse espírito enviar sua mensagem. Isso está correto? O Nego Cambinda tbm sede espaço para os espíritos sofredores falarem de suas angústias ou felicidade que encontraram pós morte.

    ResponderExcluir

Contribuições feitas com o coração são bem vindas!