quarta-feira, 10 de julho de 2013

ABNEGAÇÃO DO UMBANDISTA

  

CENTRO ESPÍRITA DE ESTUDOS NOSSA CASA
Estudo de grupo CEENC
Irmãos mais amados!!!
Mais uma vez estou aqui para falar um pouquinho sobre os nossos fundamentos!
Agradeço muito a Deus e aos mentores espirituais da nossa casa por mais essa oportunidade de aprendizado.
Bem gente, hoje vamos dar continuidade aos temas que a vovó pediu para serem objeto de estudo nas segundas. Hoje vamos falar sobre ABNEGAÇÃO.
Mais uma vez, para começar, nada melhor do que sabermos o significado da palavra. Então aí vai: abnegação significa “Renúncia da própria vontade; desapego do interesse próprio; generosidade com sacrifício; altruísmo”.
Só de olhar o significado da palavra, automaticamente sabemos a importância desse sentimento para a nossa querida Umbanda!
Sobre a abnegação, encontrei um texto muito bom que segue abaixo, no blog “Umbanda para o Mundo”, que eu achei super interessante e que, para mim, explica bem o que é ser abnegado na prática umbandista.


O PERFIL DO UMBANDISTA
  Dentre aqueles que frequentam um terreiro de Umbanda na condição de médium de incorporação destacam-se os que vivem verdadeiramente a fé umbandista. A condição de umbandista não se limita apenas às roupas, às guias, ao ritual ou ao dom que recebeu e aprendeu a desenvolver ao longo dos anos. A pessoa umbandista vai além das paredes, muitas vezes caiadas, dos templos e das tendas.
  Há quem diga que umbandista é aquela pessoa que faz parte de um terreiro e que serve de “cavalo” para os Caboclos e Pretos Velhos. Ora, sabe-se que todo aparelho de uma dessas Entidades é um umbandista porque faz parte da religião de Umbanda. Entretanto, ser umbandista é algo mais profundo do que apenas uma apresentação exterior de força espiritual ou trabalho mediúnico.
  O umbandista, antes de qualquer coisa é um indivíduo comum, suscetível a erros e tropeços, que tem uma vida cotidiana como a de qualquer ser humano e que também está sujeito a enfermidades, violências e também à morte do corpo. O umbandista não é nenhum super-homem, e tampouco um poderoso mensageiro dos céus. Pelo contrário, é mais um entre os milhões de espíritos que estão no Planeta com a árdua e necessária tarefa de resgate dos erros cometidos em vidas anteriores.
  Uma das características que o umbandista deve perseguir é a abnegação, particularidade muito bem exemplificada por Jesus e por tantos outros que se entregaram totalmente em favor de outrem. Primeiramente é necessário saber doar-se em favor do próximo.
  Não há hoje em dia a necessidade de pendurar-se numa cruz, ou receber uma coroa feita de galhos cheios de espinhos, como Jesus fez há dois mil anos. Mas, é preciso entregar-se diariamente em favor dos outros num trabalho contínuo de sacrifício do Ego.
  O umbandista precisa ser abnegado. Não se importando com o que acontecerá a si mesmo, ele dá tudo o que tem para que os seres à sua volta se sintam felizes de alguma forma. Esta abnegação, porém, é exercida de forma desinteressada, gratuita mesmo. A palavra gratuita vem de “graça”, ou seja, aquilo que é dado ou feito sem esperar nada em troca. Nenhuma riqueza, nenhum benefício ou qualquer outra coisa que possa servir de pagamento pelo favor prestado.
  Exercitando a abnegação (ato de negar-se a si mesmo), o umbandista é capaz de “emprestar” seu corpo e seu intelecto aos Caboclos, aos pretos-velhos e a todas as entidades da Umbanda, sem desejar alguma bênção especial. É capaz de estender a mão aos amigos e aos inimigos sem exigir deles a gratidão ou o reconhecimento. É capaz de perdoar aqueles que o ofenderam, sem jogar-lhes na face, a culpa. Praticando a abnegação, muitas vezes, o umbandista despende seu tempo, suas roupas, seus recursos, sua saúde e seus tesouros mundanos em prol de alguém que nem mesmo conhece. Há muitos exemplos disso nas parábolas proferidas por Jesus. A do bom samaritano é o maior de todos.
A pessoa que, sob qualquer desculpa, solicita ou recebe alguma remuneração pelo bem que prestou, está longe de dizer que verdadeiramente é umbandista. Se, em algum momento, esperou dos irmãos, sejam eles encarnados ou desencarnados, qualquer recompensa, está longe do que realmente deve ser um Filho de Umbanda. Se qualquer ato que beneficiou o irmão foi, de alguma forma, “pago”, deixou de ser uma atitude abnegada para ser apenas um negócio.
  Aquele que faz da caridade um trampolim para “subir” na vida, já deixou a abnegação para trás há muito tempo. Aquele que achou no serviço em favor do próximo uma oportunidade para “ganhar a vida” perdeu a chance de abnegar-se pelo irmão. E aquele que diz que ostenta a bandeira da Caridade – palavra de ordem maior da Umbanda – jamais deve trocá-la por absolutamente nada. Mas, deve procurar conservar essa grande característica do real religioso umbandista: a abnegação![1]


            Acho que o texto diz tudo né!
            Como visto, a abnegação é essencial, não só à prática da Umbanda, mas para todos os aspectos da vida.
            Ser abnegado, nada mais é do que ser caridoso. E como todos nós sabemos: Fora da Caridade não há salvação.

            Sempre que pensarmos em abnegação devemos ter como exemplo Madre Teresa de Calcutá, Chico Xavier, todos os nossos guias e mentores espirituais e tantas outras pessoas, muitas vezes desconhecidas, mas que praticam a caridade a cada momento de suas vidas.
            Todas as vezes que colocamos o nosso branco, batemos a nossa cabeça e nos preparamos para o início dos nossos trabalhos, muitas vezes cansados após um dia estafante, estamos sendo abnegados. Por isso, devemos aproveitar cada instante desses momentos maravilhosos e agradecer a Deus por nos permite desfrutá-los.
            É tão lindo ver, nos dias de consulta, os médiuns se preparando para atender aqueles que nos procuram, levando um pouco de alívio aos que tanto necessitam.
            É tão bom ver os consulentes deixando a nossa casa felizes e em paz.
            É tão maravilhoso saber que todos nós procuramos apenas ajudar, apenas servir a esses irmãos, sem qualquer intenção, sem qualquer recompensa. Que Deus nos ajude a conservar essa característica tão maravilhosa e a nos manter sempre vigilantes no bem e na firmeza de propósitos.
            Muito obrigada meu Deus por me conceder esses irmãos tão especiais e por ser componente de um grupo que procura a todo instante a prática da caridade desinteressada.
            Amo muito vocês!
            Gisele.



[1] Texto retirado da página: http://umbandaparaomundo.blogspot.com.br/2010/03/o-perfil-do-umbandista.html

5 comentários:

  1. Muito bom o texto!!!
    A beleza de ser Umbandista,quando se tem consciencia de seus compromissos!!
    Parabéns CEENC!!!

    ResponderExcluir
  2. Salve os lindos fundamentos de nossa linda Umbanda!

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto!!!! Que bom ter irmãos tão conscientes de seu trabalho na nossa querida Umbanda!!!!

    ResponderExcluir
  4. E que possamos ser todos abnegados... Que fé seja nosso combustível e o amor a nossa direção! Lembremo-nos de que a vida verdadeira é a que vem depois... Que nós não procuremos a recompensa na Terra por aquilo que fazemos em benefício do próximo, mas que façamos sem esperar, pois as verdadeiras conquistas são as coletivas, que vêm do trabalho despretencioso e verdadeiro em benefício da humaninade, oq ue é fundamental para nosso crescimento espiritual!

    ResponderExcluir
  5. Deus pai todo poderoso, abençoe esta linda família CCENC!!! Priorizando sempre os VALORES MORAIS da conduta humana!!! Um abraço e muito obrigada!!!!

    ResponderExcluir

Contribuições feitas com o coração são bem vindas!