sexta-feira, 3 de maio de 2013

INTUIÇÃO OU INSPIRAÇÃO?

(Tema enviado por Wânia com inspiração em vários outros textos)




Você já se pegou com aquela impressão de que não deveria entrar naquela rua, de que seria melhor seguir adiante e entrar na próxima? Que seria melhor não estacionar naquele lugar? Que naquele dia seria melhor só sair de casa, por extrema necessidade? Certamente, todos nós, já tivemos uma sensação dessas...
Então, como compreender esses “alertas”, aos quais muitas vezes não damos muita atenção, mas e que são super importantes em nossas vidas?  Simplesmente prestando mais atenção a voz interior chamada INTUIÇÃO!
  Intuição é quando nosso coração resolve dar um pulinho no futuro, regressando rapidamente.
Hoje, abordarei esse assunto que acredito ser do interesse de todos...

QUAL A DIFERENÇA DE INTUIÇÃO E INSPIRAÇÃO?

·       Intuição:
Conhecimento imediato e direto que coloca no mesmo momento o Espírito em presença de seu objeto. Faz ligação entre a mente (física) e o intelecto (espiritual). Ela vem de uma série de conhecimentos adquiridos ao longo de múltiplas experiências do Ser. É algo que lhe aflora à mente espontaneamente. De dentro para fora. Segundo o Livro dos Espíritos, se tem acesso à intuição, quando se acorda de um sono em que não se pode recordar de um sonho e de repente, apesar da lembrança nos faltar, as idéias passam a estar espontaneamente em nossos pensamentos, como resultado de uma experiência vivida e guardada para a hora de ser aplicada. Quando precisamos, ela simplesmente está lá. Pronta para ser utilizada... Assim, entende-se que é a intuição simplesmente venha à mente, sem necessidade de ser transmitida por outra mente, uma vez que faz parte dos conhecimentos adquiridos ao longo da jornada evolutiva de cada um.
·       Inspiração:
No dicionário se entende como sugestão, conselho... Porém, como a própria palavra diz, inspirar vem de “desinspirare”, ou introduzir ar... O que nos leva a entender a inspiração como “o soprar para dentro”. Estado de exaltação emotiva, de íntima e misteriosa iluminação... É aquilo que buscamos, não dentro de nós, mas ao nosso redor para produzir resultados esperados... A luz da idéia, o ponto inicial do pensar... Segundo Chico Xavier, em seu livro Seara dos médiuns (Emmanuel), inspiração é a equipe dos pensamentos alheios que aceitamos ou procuramos... Inspiração é simplesmente a forma dos Espíritos nos transmitirem seus avisos, ensinamentos e instruções. Nós, recebemos as idéias espontaneamente, como numa transmissão instantânea de uma mente para outra, como um sopro de luz dos amigos espirituais.
Portanto, toda vez que rogarmos a Deus, pedindo por ajuda , lembremos de que pedimos por inspiração... Peçamos para que os bons Espíritos nos inspirem bons pensamentos, que nos ajudem a organizar nossos próprios conhecimentos para alcançarmos a intuição no momento preciso e, sobretudo, em favor do esclarecimento do próximo. 
Se nos esforçarmos para que nosso pensamento alcance os nossos mais íntimos sentimentos guardados ao longo da jornada, em breve sentiremos que teremos novos entendimentos sobre a vida, aumentaremos nossa percepção sobre o meio em que vivemos até que passaremos a reconhecer nossas intuições...
Quanto mais nos purificarmos moralmente, mais sensível ficamos às nossas intuições e às inspirações dos amigos espirituais e mais fácil fica enxergar a solução para nossos problemas, que deixam de ser problemas e se tornam novas experiências...
Quando dormimos, temos contato com aspectos da vida espiritual da qual, muitas vezes, não podemos trazer recordações. Entretanto, o entendimento sempre persiste, nunca se perde no vento. Ele permanece no fundo de nosso ser e nos abre as portas da intuição para a compreensão das nossas escolhas e das inspirações que recebemos e que poderiam nos parecer impensáveis anteriormente.
Na Umbanda é o que acontece quando nos recolhemos espiritualmente. Ficamos mais desligados da matéria e alçamos lugares de aprendizado e resgate. Durante o repouso do corpo físico, o Espírito parte em direção à vida Espiritual, num intercâmbio de atividades, entendimentos e trabalho produtivo em prol de nosso crescimento e crescimento daqueles que são ligados espiritualmente a nós. Muitas vezes não recordamos o que acontece! Mas ficamos tão energizados naquele momento, que a vivência espiritual passa a ser mais intensa do que a de uma simples noite de sono! Criamos novos cenários mentais, somos instruídos a respeito de nossas vidas e guardamos dentro de nós tudo aquilo que o Pai nos permite vivenciar nesse momento sublime! E tudo isso, um dia, age a nosso favor em forma de intuição...
Como diria André Luiz, a intuição é uma manifestação de nossa ”alma”, reflexo da inteligência Divina que habita em nós, por isso, transcende os limites da razão. Se soubéssemos usar a intuição, poderíamos amenizar diversos problemas que nos angustiam diariamente, mas, normalmente, pedimos ajuda espiritual em momentos de aflição, e, dessa forma, não captamos a inspiração claramente. Precisamos nos conectar com a nossa intuição, no fundo de nossas almas. Precisamos estar tranquilos e com os nossos campos energéticos em harmonia. Só assim criaremos a confiança suficiente que nos dará tranquilidade para captar as inspirações Divinas.
Deveríamos utilizar melhor as inspirações de nossos amigos Espirituais, guias, mentores, entidades de luz... Mas muitas vezes não as reconhecemos e não entendemos as mensagens enviadas pelos bons Espíritos. Então... Como saber se a intuição é fruto da inspiração de um Espírito ou de nossa própria mente? É fácil entender... Para que diferenciemos nossas intuições de inspirações, precisamos nos conhecer profundamente. Saber nossas razões, opiniões e conceitos sobre a vida e principalmente, entender nossas próprias fraquezas, defeitos, dúvidas e incertezas! Ao reconhecer algo diferente do nosso entendimento anterior, verificamos a ajuda daqueles que nos inspiram.
Outra questão importante sobre o tema é o que se refere diferença entre as boas e más inspirações. Muitas vezes passam pelo pensamento das pessoas coisas não tão boas. Esse pensamento pode ser algo nosso, interno... Mas para evitá-lo basta que tenhamos a consciência de seguir a boa moral, os bons princípios e os ensinamentos que Jesus trouxe para a Humanidade. É pesar o caráter e procurar ter bons pensamentos e boas atitudes perante à vida.
Já em relação às más inspirações (que muitas vezes conhecemos pelo nome de obsessão), precisamos utilizar o velho e bom “ORAR E VIGIAR”, para que não abramos canais para a entrada de energias ruins. Se não nos deixarmos entrar em sintonia com as baixas vibrações, não poderá ser formado o elo comunicativo entre o Espírito inferior e o Ser humano, pois só se comunicam aqueles que atingem o mesmo padrão vibratório. Para que isso não aconteça, precisamos tomar todo cuidado necessário.
Na vida devemos manter as boas atitudes e a postura otimista diante dos fatos e acontecimentos. Se buscarmos a tristeza, atrairemos aqueles que se comprazem na depressão. Se buscarmos a vingança, aproximaremos aqueles de coração amargurado e tomados pelo ódio. Raiva? Só nos aproxima dos irados e cegos perante a beleza do Universo. Pra que? Faça vibrar ao seu redor aquilo que te faz bem. Doe boas energias que receberá na mesma proporção.
Na vivência religiosa, além daquilo que precisamos fazer para nos resguardar na vida, ainda temos outros procedimentos muito utilizados na Umbanda, como a preparação do corpo e da mente para as comunicações mediúnicas. Antes do início das reuniões mediúnicas precisamos manter nosso preceito, estar com o corpo limpo, com a mente livre dos problemas externos e manter o equilíbrio e o bom relacionamento com aqueles que formarão a corrente energética. Como você quer que um Ser de luz se aproxime de você se você não se mantém repleto de boas energias? Seu corpo será o templo para as manifestações de energias superiores. Prepare-se para elas. Faça questão de oferecer o melhor, pois a todo tempo você só recebe o melhor daqueles que o guiam! Se permita vibrar positivamente como a sua casa espiritual também vibra e você estará protegido contra as más influências que possam querer perturbá-lo.
Simples assim...
Por fim, é importante saber que temos que fazer a nossa parte. Para que a intuição aflore, precisamos ter fé. De que adianta  pedir para ser inspirado em algo, se no fundo não acreditamos que seja possível? É a mesma coisa que dizer que quando oramos sem fé, o pedido passa a ser sem efeito...
Bem, espero ter ajudado a esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto.
Até breve!

Fontes de pesquisa:
- Revista Cristã de Espiritismo
- Dicionários de Filosofia e Ciências Culturais.
- Ensinamentos aprendidos no CEENC

3 comentários:

  1. Lindo texto. Muito explicativo. Adorei e aprendi. Obrigada amigos do CEENC!
    Fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  2. Sempre tive dúvidas da diferença entre intuição e inspiração, Agora aprendi!!!!

    ResponderExcluir
  3. Maravilhosa explicação. Muito obrigada!

    ResponderExcluir

Contribuições feitas com o coração são bem vindas!